Os pros e os contras de ficar com um filho da puta

É bem comum, que no momento de sair a conquistar ao teu futuro ex-namorado, apareçam muitos príncipes azuis no caminho, alguns deles irão se despintando mais rápido, outros trovarão melhor e poderão te manter enganada por mais tempo. Outros você mesma terá que sair a conquistá-los porque eles estão se “achando” e todo um monte de bobagens que vai ter que aguentar no momento de encontrar a “ELE”

Você foi e voltou, ficou com um e outro, mais legal, menos legal, um pouco de tudo… mas você ficou louca por esse cara, meio idiota, que te abandonou algumas vezes, te deixou como uma doida, ficou com uma amiga tua e todo o mundo te recomendou que não ficasse com ele.

É nesse momento que você se pergunta se você é um tipo de masoquista, ou algo do tipo…Por isso, princesa das montanhas mendocinas, é entre você e eu que vamos tentar desmascarar o porquê de sair com essa espécie de caras, chatos, idiotas e que se acham, melhor conhecidos como filhos da puta. Vamos detalhar cada um dos pontos a favor e em contra.

Sem dúvida que esses irresistíveis seres do demônio têm que ter alguma coisa ao seu favor, pois se não eles estariam mais sozinhos que Adão no dia da mãe. E parece que não são poucas as condições do cavalheiro da noite que transformam a esse Bruce Wayne no teu Batman.

Na grande maioria, os filhos da puta são bem gatos. Olha, não necessariamente quer dizer que sejam lindos, mas sim pelo geral bem gatinhos. Sabem vestir e combinar as roupas corretamente, calçam bons sapatos e se destacam com sua vestimenta. Sem chegarem a ser metrossexuais, os caras cuidam da sua aparência, sempre cheiram bem e se distinguem do resto.

Os FDP podem ou não ter muita grana, no caso de não ter muita, a pouca que eles têm a gastam toda. Te levam a bons lugares, sabem de vinhos e da boa vida, são elegantes e nem se preocupam com o dinheiro no momento de te levar a passear. Se destaca sua generosidade e magnetismo.

Intimamente ligado ao item anterior, chega o tema do carro. O cara, seja com ou sem grana, encontra o jeito para andar em um carro bem top, seja dele, da sua mãe, ou do amigo. Nunca vai te pegar num carro velho, Sempre com carros que aparentam de um bom passar na vida e que são o suficientemente cômodos para se sentir bem dentro deles. Em todos os sentidos.

Mas se você não está completamente entregada nesse momento à pegação do gostoso filho da puta, pior é que ele tem um bom papo e você absorbe todas as palavras dele, deixando teu coração cheio de boas histórias. Tanto faz se são verdadeiras ou falsas, mas ele as conta tão bem, que você não pode resistir a acreditar nelas de qualquer jeito e repeti-las até o cansaço para tuas amigas, fazendo ele virar um mito.

 

O FDP normalmente é multifacetado. São desses caras que fazem de tudo, podem ser professionais ou não, mas eles deram voltas por todos lados, e com certeza foi bem em todos os seus empreendimentos, ou pelo menos isso é o que eles te fazem achar. Eles passaram pela faculdade, se formaram, foram gerentes, empreendedores, políticos, tem ou tiveram um escritório, falam de sócios, e nunca se sabe bem de onde conseguem a grana. É parte do seu charme.

Sem dúvidas, que ao ir avançando no tema, você começa a ser a inveja de tuas amigas, e obviamente não é uma inveja saudável, pelo qual logicamente você desfruta o dobro. Você vai ver as outras merdas buscando o mil e um jeitos de te demostrar que o cara transou com a metade de Mendoza, e que traiu a todas suas namoradas e que tem um prontuário mais longo que seu próprio pinto.

Começa a história e começa o fogo da paixão. O FDP é tão cavalheiro, sabe se mover sem atropelar, nunca tem silêncio incômodos, sempre vai se sentir cômoda e relaxada. O primeiro beijo foi natural e agora que você está pensando, foi você mesma quem deu esse beijo. Te faz sentir uma dama por completo, no entanto tuas pernas desejam ficar bem abertas… e está se perguntando se ele será tão respeitoso e cavalheiro na cama como na vida.

E acontece, se faltava algo com o qual não vai conseguir tirar ele da tua cabeça. Chega o momento esperado e é tudo como nos filmes, te faz sentir especial, está relaxada e você está deixando se levar. Com certeza o ambiente é perfeito, tudo preparado para te fazer sentir única. E começa a ação. Os FDP transam tão bem, começam bem devagar para logo te converter numa safada total que até você mesma se desconhece. Te fazem sentir como num capítulo de 50 tons de cinza. Mas como todo o bom, alguma coisa ruim deve ter, passa o tempo e você começa a encontrar alguns contra, para saber…

Nesse momento do jogo, você está num momento importante que perigosamente termina num imparável apaixonamento, tua visão tanto do relacionamento, como da realidade, começa se desvirtuar um pouco mais do recomendável, e tiram a essa loba ciumenta que há muito tempo tinha guardado. Você sabe que vai terminar sofrendo e ainda assim decide continuar firme como cabelo de estátua.

Você começa a desenvolver uma preocupante obsessão pelo FDP. De repente você se encontra stalkeando seu facebook, Twitter, Instagram e incluso adicionou ele ao Linkedin. Em cada tempinho livre que tem, você revisa detalhadamente o Facebook e entra no perfil das vacas que curtem qualquer bobagem que o idiota pública.

Bem ligado a esse tema, se encontra a psicoses, que você começa a ter por tudo o que te rodeia, e sobre todo pelas coisas que rodeiam a ele. Parágrafo aparte merece a tua loucura psicótica com a questão do “visto” no chat do Facebook e com o WhatsApp. Sem se dar conta, você começa a viajar inventando histórias sobre porque o cara nem se liga contigo e some por dias sem dar sinais de vida.

Tua vida aos poucos vai se virando numa lenta morte, mas não o suficiente como para se assustar. Mas é certo que o apreço e o carinho pelo FDP se transformou claramente numa obsessão para ir ao psicólogo. Você dá conta que é um lixo de pessoa, você xinga ele em 10 idiomas distintos, e aos 20 minutos essa sensação vai embora e manda, como boa idiota, um coraçãozinho. Corna consciente.

Começa um perigoso abandono da autoestima, o cara te manda tomar no cú e você ainda volta a procurar ele, começa a justificar ele, no entanto vai morrendo por dentro aos poucos. É tipo um bumerangue, quanto mais longe ele te joga, você volta com mais força. Este abandono começa a ser visível no teu corpo, começa a engordar da ansiedade que te produz, volta a fumar, ao pouco tempo começa a tomar umas pílulas ante depressivas e baixa vários quilos de repente, dentro da tua própria miséria e relendo as mensagens desse chat que nunca apagou.

Após brigar com tuas amigas e acabar assistindo filmes da Bridget Jones, você percebe que isso foi muito longe, e decide que o melhor que pode fazer com um FDP é deixá-lo, ou não dar mais bola para ele.

No fundo você odeia ele, mas por dentro não aguenta nem dois segundos por voltar a ver ele, ou mandar uma mensagem. Chega o fim de semana, volta a amizade com tuas amigas, essas que são irmãs para sempre, você sai para celebrar tua nova “liberdade” e aos dois golinhos, recebe uma mensagem. É ele que quer te ver. Você faz uma simulação de um mal-estar e rapidamente abandona o lugar frente ao olhar de tuas amigas que se olham sabendo o trágico final. E mais uma vez a começar tudo de novo!

Você sente a adrenalina de ficar com “o cara” e se sente um pouca pressa também de ficar com ele. Uma espécie da Letty, a namorada do Toretto (The fast and furious). Imagina que com você vai ser diferente e vai poder mudar ele. Ilusa.

WhatsAppShare

Opina

*